Siga-nos nas Redes Sociais

Imprensa

Sérgio Moro e delegação nos EUA para combate ao cibercrime

Publicado

em

Sérgio Moro

O site do Ministério da Justiça e Segurança Pública publicou matéria sobre a visita de delegação do Brasil aos Estados Unidos na semana passada para se reunir com representantes da National Cyber-Forensics and Training Alliance (NCFTA), uma organização sem fins lucrativos, em Pittsburgh. A delegação foi chefiada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e contou também com a participação do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, e do coordenador do Laboratório de Inteligência Cibernética da Diretoria de Operações da Secretaria de Operações Integradas, Alessandro Barreto.

A missão inseriu-se no contexto da criação do Grupo de Trabalho instituído pela Portaria nº 778, de 23 de outubro de 2019, no âmbito do Ministério da Justiça e Segurança Pública, sob a coordenação da Secretaria de Operações Integradas, com a finalidade de estimular o debate sobre uma parceria público-privada para a prevenção e combate ao crime cibernético. Ainda, a iniciativa é fruto da assinatura do acordo de cooperação técnica entre MJSP e Fiesp, pelo qual serão estabelecidos projetos de cooperação com o setor privado.

O objetivo foi apresentar o trabalho realizado pela NCFTA, nas áreas de cibercrime, em temas como fraudes bancárias, proteção ao consumidor e malware. Os participantes brasileiros tiveram a oportunidade de assistir a apresentações do presidente da NCFTA, Matt LaVigna, dos demais especialistas da Aliança, da equipe de representantes das diversas agências de “Law Enforcement” que trabalham no NCFTA e de integrantes das universidades que mantêm convênio com a referida entidade.

O encontro contou com representantes da PF, da Seopi, da DTIC, da ASINT e do gabinete do Ministro, pelo MJSP; e ainda, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Fiesp, do Serpro, da Microsoft Brasil, do Senai, da Abert, da Febraban, da Motion Pictures Association of AmericaMPAA e da Associação Brasileira de Televisão por AssinaturaABTA.

Além dessa agenda, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, se reuniu na última sexta-feira (6) com o ministro da Justiça e procurador-geral da República dos Estados Unidos, William Pelham Barr, para tratar de casos de cooperação de relevo entre os dois países.

https://www.novo.justica.gov.br/news/delegacao-brasileira-se-reune-com-entidade-norte-americana-de-combate-ao-cibercrime

Imprensa

Pirataria audiovisual causa prejuízo de mais de R$ 15 bilhões

O Fantástico, da TV Globo, exibiu uma reportagem em sua última edição (23/05) que mostra como a pirataria audiovisual prejudica não apenas os usuários, mas o país todo. Confira ao lado:

Publicado

em

Por

pirataria audiovisual

O Fantástico, da TV Globo, exibiu uma reportagem em sua última edição (23/05) que mostra como a pirataria audiovisual prejudica não apenas os usuários, mas o país todo. Confira abaixo:

Continuar Lendo

Imprensa

UOL: Pornhub reduz pirataria de conteúdo pornô

Publicado

em

Por

Pornhub

O site Pornhub está ajudando sem querer a diminuir a pirataria. Matéria publicada na coluna Splash, do jornalista Ricardo Feltrin, no UOL, informa que a pirataria de conteúdo audiovisual sexual tem diminuído desde a última segunda-feira, dia 14. O fato inédito no mundo erótico, diz Feltrin, é uma decorrência da denúncia contra o Pornhub, um dos maiores sites de pornografia no mundo, que vinha disseminando conteúdo com menores de idade e de violência sexual —inclusive estupros.

O motivo da queda, segundo Clayton Nunes, CEO da Brasileirinhas —maior produtora de conteúdo adulto no país, é que os “piratas” que ora estão sendo punidos por postarem vídeos com estupros ou com menores são os mesmos que também postam conteúdo sexual “regular” pirateados.

Segundo a coluna, antes do escândalo, o Brasileirinhas pedia exclusão (por meio de notificação) de 500 vídeos diários da plataforma Pornhub. Eram vídeos da produtora pirateados e “subidos” no site de forma clandestina. Agora esse número tem sido zero. Nunes detalhou os números de vídeos de propriedade da Brasileirinhas que foram identificados em outros sites do gênero do Pornhub: XVideos – 732 vídeos/dia (em média); XHamster – 521 vídeos/dia; SpankBang – 313 vídeos/dia.

Segundo o CEO, normalmente, após uma notificação os sites tiram rapidamente os vídeos, mas como há descontrole no “upload” de conteúdo, em questão de dias (ou às vezes só de horas) o conteúdo já volta ao site.

Dessa vez, porém, não está sendo assim. No entanto, mesmo ele não tem esperança de que essa situação se mantenha. Os piratas cedo ou tarde dão um jeito de voltar ao jogo.

Continuar Lendo

Trending